01/02/2013

Pessoas

A propósito do que leu nas "Horas Extraordinárias - Post mortem", Erik sentou-se a olhar para as pessoas. Uma, que se encontrava mais ao canto, cabeça para baixo, olhar perdido, assim do nada, diz: sinto mais falta dos que partiram do que aqueles que ainda aqui estão. Normal, pensou Erik numa primeira fase, pensando que talvez se referisse a familiares muito próximos, pais quicá. Mas não, a mulher, ar triste e frustrado, apenas se referia aos colegas - aos que tem e aos que deixou de ter.

Sem comentários:

Enviar um comentário